Acordo sobre o fim dos vistos para Portugal e Brasil vai ser assinado em Luanda em 2020

BOA NOVIDADE PARA CABINDA
Muito bem para os Cabíndeses.
Vão vir muitos pela reivindicação do seu Direito Internacional !
O governo da República de Cabínda em exílio está satisfeito na declaração do Portugal.
E apela fortemente à Portugal de continuar a sua proteção dos Cabíndeses no Estatuto de protectorado assinado em 1 de Fevereiro de 1885 no lugar de Simulambuco em Cabínda.
O governo ditatorial do MPLA ocupa Cabinda ilegalmente, porém o povo de Cabinda se regozija com a decisão de que os vistos para Portugal vão cair no próximo ano.
Numa primeira fase serão contemplados os vistos de curta duração de até três meses. A medida vai ser tomada na Cimeira da CPLP de 2020.

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, avançou esta semana, em Luanda, no âmbito da sua participação na Bienal, que está ultrapassada a questão técnica que condicionava a ratificação do acordo de mobilidade.

O documento final vai ser submetido aos Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), na XIII Cimeira desta organização que decorrerá no próximo ano na capital angolana.

“Na minha opinião resolvemos a questão técnica mais difícil, agora é um trabalho de finalização de tal forma que os Chefes de Estado e de Governo possam aprovar este regime na cimeira”, disse ministro português.

Santos Silva explicou que o acordo que está a ser trabalhado pelos técnicos e que deverá estar concluído em Novembro “é suficientemente flexível para acomodar problemas ou circunstâncias específicas de qualquer um dos estados membros” da CPLP.

O líder da diplomacia portuguesa garantiu também que o acordo em vista também “prevê que os países possam escolher eles próprios quais são as dimensões de mobilidade em que querem entrar e qual é o calendário que querem seguir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *